Posso criar uma criança vegetariana?

Desde que me tornei vegetariana, em julho de 2017 e com mais de 30 anos, duas perguntas chegam até mim com grande frequência. A primeira é a clássica "De onde você tira suas proteínas"? 

E a segunda, com um peso um pouco maior: "Você pretende criar filhos sem carne?" A minha resposta é "Não só pretendo como vou!" Meus planos para engravidar não estão tão próximos, mas algo que tenho completamente certo é que vou fazer questão de passar a eles os meus valores pessoais e entre eles está o de não comer carne

Sim, eu pretendo não oferecer carnes aos meus filhos. Mas isso não significa que irei proibi-los de comer. Assim que eles tiverem naquele momento que começam a escolher o que querem comer, se eles sentirem vontade de comer, vão experimentar. Isso porque quero que eles se tornem adultos capazes de ouvir as necessidades do próprio corpo, entender a individualidade deles e o que é melhor para o corpo deles. 

O vegetarianismo é algo que me faz muito bem e que vou incentivá-los a seguir, mas sem obrigações. Aliás, você sabia que crianças que estiveram na barriga das mães durante os meses de inverno têm maior probabilidade de ser naturalmente mais "carnívoros"? 

Sei que isso pode gerar inúmeras perguntas e críticas e por isso, fui atrás de uma nutricionista para me informar se há riscos, ou se há o famoso "Você vai ter um filho fraco, com baixa imunidade e que fica doente por tudo!"
Exemplo de imagem
Muitas famílias optam por retirar a carne da alimentação. Outras, se deparam com crianças que não aceitam ou não querem comer carne. Será que tudo bem criar crianças vegetarianas? Quais cuidados devem ser tomados? Esse post é para você que tem essas dúvidas.

 "Crianças vegetarianas, tudo bem?" 

Não importa se é por opção ou apenas uma fase temporária, se a criança optou por não comer carne, você não precisa forçá-la a comer. A última coisa que você quer é criar um clima de guerra e relações conflituosas na hora da refeição.

Muitos profissionais de saúde incentivam o consumo de carne pelas crianças, dando a impressão que é um alimento “obrigatório” na alimentação delas. A verdade é que se a criança tem uma alimentação variada e saudável, não tem problema ela ser vegetariana. 

Porém, alguns cuidados devem ser tomados para garantir a oferta de todos os nutrientes que a criança precisa nessa fase tão importante de crescimento.
 

Quais cuidados devem ser tomados? 

Alguns cuidados devem ser tomados para garantir a oferta de todos os nutrientes que as crianças precisam, em especial, micronutrientes como o ferro e a vitamina B12. Aqui eu listo alguns deles, porém cada criança é única, faça sempre acompanhamento com um profissional de saúde.

Um grande aliado da alimentação vegetariana são as leguminosas, como os feijões, a lentilha e o grão de bico. Esses alimentos são ricos em ferro e, em combinação com o arroz, fornecem todos os aminoácidos essenciais que precisamos na nossa alimentação. Eles devem ser oferecidos diariamente nas refeições principais (almoço e jantar).
pimenta

FERRO
As verduras e legumes de cor verde-escura são ricos em ferro e também devem fazer parte da rotina alimentar das crianças vegetarianas. Alguns exemplos são: brócolis, espinafre, couve, agrião e rúcula.

Imagem

VITAMINA C
O ferro de origem animal é absorvido por uma via diferente do ferro de origem vegetal. Por isso, para garantir sua absorção, é preciso sempre ter uma oferta de vitamina C. Por exemplo, você pode pingar umas gotinhas de limão no prato em cima do feijão e dos vegetais, ou, temperar a salada com um molho de limão.

Imagem

CÁLCIO
Outro cuidado que deve ser tomado é evitar alimentos ricos em cálcio nas refeições principais, como por exemplo, queijos e iogurtes. Isso porque o cálcio compete com a absorção do ferro de origem vegetal. Garanta a oferta de leite e derivados nas outras refeições, como no café da manhã e lanches intermediários.

Em conclusão, crianças podem SIM ser vegetarianas! 

Porém, uma maior disciplina alimentar é necessária para garantir a oferta de todos os nutrientes que as crianças precisam. Por isso, faça sempre acompanhamento com um pediatra ou nutricionista, de preferência com experiência em vegetarianismo!

Esse post foi produzido com ajuda de uma super especialista no assunto, a Milena Nardocci, nutricionista formada pela USP e mestre em Saúde Pública pela Université de Montréal, Canadá.
Criadora do blog Petit à Petit sobre alimentação infantil. (Clique aqui para seguir ela!) 

Ponto importante para mães, pais e qualquer pessoa responsável pela alimentação dessa criança:  

Provavelmente, você será criticado e isso pode te estressar. Te irritar. Lembre-se: a gente só tem capacidade de dar o que a gente já tem. Por isso, se você não conseguir cuidar da sua saúde de forma integral, não tem como oferecer uma alimentação completa e variada para estes seres que estão em crescimento. :) Cuide-se também!

O stress pode ser um enorme vilão na busca por uma saúde integral. Por isso, disponibilizamos gratuitamente um e-book com exercícios de respiração super simples, para você fazer em poucos minutos. :) 
Mude para sempre sua forma de entender e viver o que é ser saudável.
MARI ALVES

MARI ALVES 

"Só consegui vencer a batalha contra a
balança quando percebi que o corpo sedentário que eu via no espelho era apenas reflexo de uma mente em conflito. A mudança que vivi do lado de dentro foi imensamente maior do que os 15kg que deixei pelo caminho com hábitos mais saudáveis."
CRIS FRANKLIN

ANNA HEUSELER

"A busca para curar minhas crises de ansiedade fez com que eu ressignificasse meus hábitos, valores, relações, tudo. Percebi nesse processo o quanto nossa mente está conectada com o nosso corpo e que é impossível curar um sem curar o outro."