Dia dos Avós: faz algum sentido comemorar?

dia dos avós

Você comemora o Dia dos Avós ?

Se não, vou te falar: DEVERIA! Antes de começar a me criticar sobre o Dia dos Avós ser mais uma data comercial, se pergunte: quando foi a última vez que você juntou seus avós? Mas, juntou de verdade, pra ficar conversando, fazendo coisas que vocês faziam juntos quando você era criança, sem um celular no meio? Há alguns dias, fiz um texto sobre a família vir primeiro (se você não viu, é só clicar aqui). Nele, falei rapidamente sobre o fato de eu não conviver com meus avôs. Esse é o motivo para esse post falar só das MINHAS AVÓS, certo? Ambas são separadas e eu não me recordo da última vez que os vi. Se já fiquei chateada com isso em algum momento? Sim, claro! Mas hoje, vejo que os 2 fizeram – por motivos que desconheço – a opção de se afastarem da gente. E OK! A escolha foi deles e é vida que segue.

Eu já fiquei muito magoada por isso quando era mais nova, mas não teve nada que eu pudesse ter feito para ter diferentes, pelas razões deles, eles escolheram assim. Eu não lembro da última vez que os vi. Mas sem dúvida, tem mais de 20 anos. Um deles, eu sei que faleceu. O outro, eu não tenho a menor notícia. Na realidade, acho até que se eu o encontrar na rua, não o reconheço.

Mas que história triste para o Dia dos Avós…

Pode parecer, mas não é. O Universo me presenteou com as avós mais SENSACIONAIS que alguém poderia pedir. As duas foram extremamente presente na minha vida. Ficava muito com elas quando eu era criança. A frase “Come mais um pouquinho, você tá tão magrinha!” é uma constante. Eu me lembro de ficar na casa delas enquanto meus pais trabalhavam e quando vi que eu teria a oportunidade de passar um Dia dos Avós em São Paulo, não pensei duas vezes, eu só queria me juntar com as duas.

Como eu percebi que vocês têm gostado de textões longos, vou me alongar neste também. Eu não sei dizer se já comemorei algum outro Dia dos Avós. Mas sei que esse ano meu coração bateu apertadinho e praticamente me obrigou a comemorar. E bom, comemoração? Não, não rolou festa, presente, coisas enormes. Eu só queria fazer coisas simples da vida. As minhas avós têm 77 e quase 74 anos. São novas, isso é uma delícia dos meus pais terem tido filhos jovens. Elas são novas, estão bem. Elas têm os problemas de saúde delas, como qualquer ser humano começa a ter com o passar da idade. Mas elas fazem as coisas delas…hidroginástica, andar de ônibus…uma delas foi até para a Disney no mês passado. Ela foi no elevador, amigos! The Twilight Zone Tower of Terror™, aquele mesmo que despenca. Eu morro de medo de ir. E ela foi! E ainda foi a única que saiu sorrindo na foto (olha aí, de blusa laranja do lado direito da foto, na fileira do meio):

dia dos avós

É só um brinquedo, é verdade. Mas o que eu tenho pra dizer é que as duas, mesmo com os olhares mais doces de todos (vai falar, toooodas as avós têm olhar doce!), me ensinam todos os dias sobre ser corajosa. É impressionante a capacidade que dois seres humaninos como esses, que teoricamente aparecem frágeis têm de bravura…não se engane. E, é engraçado perceber o quanto tem coisa que a gente não faz muita questão quando tá do lado de quem ama, né?

Essa foto aí de baixo não é de hoje, mas bem que podia ser. O que eu quis fazer com elas hoje? Restaurante caro? Passear no shopping? Não. Só quis que ela estivessem aqui comigo, na casa dos meus pais.

dia dos avós

 

Conversamos sentadas no sofá, tomamos um chá. Fizemos bolinho de chuva. Tomamos um chá. Assistimos Netflix juntas no quarto do meu irmão. Eu, as minhas duas avós e a minha mãe, esmagadas numa cama de solteiro. Precisa de mais? <3

 

 

 

0

You may also like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *